27 de outubro de 2015

As Sete Moradas do Tormento II

Já era bem depois da meia-noite e Amaro, inquieto, virou-se em sua cama quando a terceira visão o atingiu como um raio. Com os olhos bem abertos, ele estava olhando para a escuridão que rugia. Após alguns segundos, sem fôlego, as imagens começaram a girar em torno de sua cabeça e ele ouviu uma voz alta e clara como se alguém estivesse de pé ao lado dele.

DESTRUIÇÃO espera por você! Enfrente as forças do apocalipse em um calabouço, rastejando com o spawn do inferno. Derrote-os ou enfrente a aniquilação!








Sem escapatória. Sem esperança. Não há outra forma que não descer mais e mais profundo, no coração do DESESPERO. 





Cuidado com absoluta escuridão do túmulo! A sombra de MORTOS-VIVOS cairá em cima de você.





"Deixe-me ser!!" O grito que tinha preso na garganta de Amaro finalmente saiu com força total. - Eu não posso. Ainda não. - Amaro se agitava girando seus braços. Alguém estava de pé ao lado dele, mas estava escuro demais para Amaro para ver quem era: "Utevo gran lux." Nada aconteceu. "Pelos deuses, quem é você? O que você quer de mim???" - Você sabe quem eu sou e o que eu quero. Você ainda não cumpriu a sua parte do acordo. - "O que você está falando sobre acordo?" - Nós compartilhamos nossos segredos com você. Nós permitimos que você chegasse a lugares inacessíveis. Nós lhe damos tudo o que precisava. Em troca, você disse a eles. Você tornou-os conscientes. Você espalhou a palavra. Então vá em frente, deixe isso ser conhecido... -

Uma súbita explosão de luz fez estremecer Amaro e piscou rapidamente até que seus olhos se adaptaram. Ele reconheceu o ambiente familiar de seu quarto. Ele estava sozinho. Roupas estranhas tinham sido colocados no final de sua cama e um rolo de papel cheio de anotações manuscritas estava deitado em cima delas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário